NA MÍDIA

Revista Casa e Jardim: A casa sem fronteiras para os pets

por Equipe de comunicação.
|
|
Compartilhe:

Se somarmos o número de cães e gatos no Brasil, o resultado será muito maior do que a quantidade de crianças. Segundo a última pesquisa nacional de saúde feita pelo IBGE, os domicílios brasileiros contam com mais de 52 milhões de cachorros e mais de 22 milhões de felinos contra 50 milhões de crianças até 14 anos. “Os pets participam intimamente da vida familiar. Assim como bebês, eles demandam cuidados, alteram nossa rotina e são muito carinhosos. E essa troca é muita rica, tanto para eles, quanto para nós”, conta a veterinária e psicóloga Ceres Faraco, que é vice -presidente da Associação Médico-Veterinária Brasileira de Bem-Estar Animal.

Foi-se o tempo em que os animais de estimação ficavam restritos a uma única área da casa. Atualmente, a grande maioria deles tem acesso livre e irrestrito a todos os ambientes e até servem de inspiração para projetos de decoração, como você verá nas páginas a seguir. A casa sem fronteiras para os bichos já é uma realidade, mas requer cuidados. “É preciso verificar se o ambiente apresenta algum perigo para a saúde e a segurança deles, especialmente se forem filhotes, como produtos que possam causar uma intoxicação ou ambientes onde eles corram o risco de se acidentar”, afirma o zootecnista Alexandre Rossi, fundador da Cão Cidadão e conhecido como Dr. Pet. Para evitar acidentes, instale telas de proteção em janelas e varandas, esconda fios de eletricidade, deixe produtos de limpeza fora do alcance e evite cultivar plantas tóxicas, como copo-de-leite, avenca e azaleia. Também é preciso redobrar o cuidado com a higienização das áreas que o animal frequenta. Aspire os cômodos pelo menos três vezes por semana, retire diariamente qualquer resíduo de urina e fezes e limpe todos os dias o local onde ficam o comedouro e o bebedouro.

Para ler toda a matéria, clique aqui.

Encontre por tipo de Mídia:


SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

CÃES

Os nossos amigos de quatro patas estão sempre se comunicando, por meio de linguagem corporal ou vocalização (latidos, uivos).

SE VOCÊ É UM DONO: COM CRIANÇAS

O mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças.

SE VOCÊ É UM DONO: MAL-HUMORADO

Os mais indicados são aqueles que gostam de carinho, mas depois voltam para o cantinho deles, tudo sem excessos.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.