CÃES

CÃO-GUIA, OUVINTE E DE SERVIÇO: O QUE FAZEM OS CÃES DE ASSISTÊNCIA?

por Alexandre Rossi | Coluna Canal Pet - Ig
|
8 meses ½ atrás
|
Compartilhe:

Acompanhamos os Jogos Paralímpicos em nosso país e pudemos conhecer incríveis histórias de determinação, disciplina e resiliência, achei legal contar um pouco sobre os chamados cães de assistência. E não é apenas o cão-guia que se enquadra neste papel.  

O que significa?

Cães de assistência são aqueles treinados especificamente para auxiliar pessoas com alguma deficiência física, proporcionando a elas mais independência, valorizando sua autoestima e liberdade no dia a dia. É o caso do cão-guia, que ajuda aqueles que têm deficiência visual a se locomover com mais independência.  

Normalmente, as organizações que trabalham com o treinamento de cães de assistência costumam classificá-los em três tipos: os guias, os cães ouvintes (para pessoas com deficiência auditiva) e os cães de serviço (treinados para auxiliar indivíduos com alguma outra deficiência que não visual ou auditiva, inclusive deficiências mentais ou problemas de saúde que possam comprometer a segurança e o bem-estar, como epilepsia ou diabetes).

Cães especiais

Não é qualquer cachorro que pode ser treinado para ser um cão de assistência. São avaliadas a linhagem, histórico genético dos pais e, principalmente, o temperamento individual, entre outros requisitos.

Aliás, o temperamento de um cão de assistência é um elemento muito importante. Um cachorro que será treinado para esse fim deve ser sociável com pessoas e animais, não ter sinais de instinto predatório ou de guarda muito aguçados, e um nível de energia condizente com a atividade que ele desempenhará.

Treinamento
 
O treinamento de cães de assistência se inicia quando eles ainda são filhotes, fase em que ficam com famílias socializadoras, responsáveis por, literalmente, apresentar o mundo a eles. Nessa fase, eles precisam ser familiarizados com ambientes externos dos mais diversos (ruas, avenidas, parques, estradas) e internos (restaurantes, shoppings, lojas).

Depois desse período, no qual os filhotes ainda são constantemente avaliados em relação ao seu temperamento, inicia-se o treinamento propriamente dito. Ele pode levar até dois anos, dependendo do caso, e engloba treinos nos comandos básicos de obediência e para as atividades que farão parte do seu trabalho. Finalmente, é escolhida uma dupla para esse cão e é feito o acompanhamento bem próximo dos dois, até que sejam liberados para começar a, realmente, estarem juntos 24 horas por dia.  

No Brasil

Em países como Estados Unidos e Reino Unido, há leis que garantem o acesso dos cães de assistência em locais públicos. Aqui no Brasil, a legislação regulamenta apenas o acesso do cão-guia a locais públicos. Ainda há muito trabalho para que o cenário americano e europeu também se torne uma realidade por aqui.

Leia Mais