CÃES

Raças x personalidade

por Alexandre Rossi
|
9 meses ½ atrás
|
Compartilhe:

Já dizia o velho ditado: “quem vê cara, não vê coração”. O mesmo serve para os nossos amigos de quatro patas. Nem sempre a raça determina o temperamento do animal. É preciso tomar muito cuidado ao julgá-lo pelo seu porte ou linhagem.

Independentemente da raça, cada indivíduo é exclusivo e contempla uma personalidade. Animais da mesma família podem, sim, desenvolver agressividade mesmo que tenham em seu histórico a comprovação de serem dóceis e vice-versa. Portanto, nada de generalizar!

Contudo, algumas características podem ser analisadas antes da compra ou adoção do animal. Inclusive, é muito importante que o dono tenha em mente que alguns cães podem não se adaptar ao seu ritmo de vida.

Por exemplo, se você é uma pessoa que curte esportes e espera que o seu amigo peludo também goste, é melhor optar por cachorros de raças mais ativas, alegres, amáveis e praticamente incansáveis. Mas isso não significa que um cão de porte mais delicado não possa se exercitar com você. Aliás, todos eles precisam de exercícios diários, respeitando sempre os limites.

Se você é um dono:

Carente - o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.

Agitado - vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

Aventureiro – algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

Festeiro – mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

Mal-humorado – os mais indicados são aqueles que gostam de carinho, mas depois voltam para o cantinho deles, tudo sem excessos. Algumas raças que se encaixam nesse perfil são o rottweiller, o doberman, o chow-chow e o buldogue.

Com crianças – o mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças. Do time dos pequenos, busque os mais calmos, como os SRDs, que costumam ser ótimas companhias e, normalmente, são maioria nos locais de adoção. Além de fazer a criança feliz, você dará a mais um cão abandonado a oportunidade de ter uma família.

Ter um animal em casa demanda tempo, dedicação, visitas frequentes ao veterinário, vacinação, vermifugação e atenção com a alimentação. É preciso ter consciência de que é uma outra vida dependendo de você e que o animal também tem sentimentos.

Alguns comportamentos não têm relação alguma com a raça, mas sim com a forma com que o cão é educado. Independentemente da raça, todos são merecedores de um lar que ofereça proteção, amor e carinho. Cães grandes, pequenos, com fama de bravos ou não, somente convivendo e se aproximando de verdade do bichinho é que você sentirá a sua verdadeira personalidade.